aflatoxina.jpg

Aflatoxina – Uma micotoxina presente no amendoim

Recentemente o MAPA publicou o Regulamento Técnico do Amendoim em Casca e em Grãos, destinado à alimentação humana, definindo o seu padrão oficial de classificação, com os requisitos de identidade e qualidade, a amostragem, o modo de apresentação e a marcação ou rotulagem.

Dentre as modificações, no Art. 9º da Instrução Normativa nº 32/2016, determina que será desclassificado e considerado impróprio para o consumo humano, com a comercialização proibida, o amendoim que apresentar uma ou mais das condições indicadas a seguir:

  • I – mais de 5% (cinco por cento) de grãos mofados e ardidos;
  • II – mau estado de conservação;
  • III – odor estranho, impróprio ao produto que inviabilize a sua utilização para o uso proposto;
  • IV – presença de sementes tóxicas ou sementes tratadas; e
  • V – teor de aflatoxinas acima do limite estabelecido na legislação específica vigente.

De acordo com o Anexo I da Resolução – RDC nº 7, de 18 de fevereiro de 2011, os limites permitidos para Amendoim (com casca), (descascado, cru ou tostado), pasta de amendoim ou manteiga de amendoim são de até 20 (µg/kg), somadas as aflatoxinas B1, B2, G1 e G2.

Mas afinal, o que é Aflatoxina?

Aflatoxina é uma micotoxina, tóxicas para o homem e para os animais que são produzidas, principalmente, por dois fungos Aspergillus flavus e Aspergillus parasiticus. A sua presença como outras micotoxinas, é um problema para saúde e qualidade dos alimentos.

As aflatoxinas são compostas por quatro substâncias principais identificadas como B1, B2 (por apresentarem fluorescência azul-violeta quando observadas sob luz ultravioleta em 365 nm) e G1 e G2 (por apresentarem fluorescência esverdeada). Existem também a M1 e M2 , que foram detectadas no leite, urina e fezes de mamíferos, resultantes do metabolismo das B1 e B2.

Como ela ocorre?

A produção de aflatoxinas na grande maioria das vezes está associada às condições inadequadas de secagem e armazenamento. Pois, a produção de fungos e esporos, depende de alguns fatores, como a atividade da água, pH, temperatura, substrato, dentre outros fatores.

Sua ocorrência é maior no amendoim, sendo o produto preferido pelo fungo e, também, porque muitas vezes há demora e chuvas no período de secagem. Na hora do arranquio o amendoim contém cerca de 40% de umidade ou mais. A partir deste momento ele começa a perder umidade numa velocidade que depende do clima (sol, chuvas, dias nublados etc.) e da maneira com a planta for disposta no chão para secar: se deitada ou embandeirada (com as vagens para cima).

Porém, o amendoim embora seco, se for mal armazenado pode, em época chuvosa (devido à elevada umidade relativa do ar), reumedecer-se e dar condições ao fungo de crescer, possibilitando a contaminação com aflatoxina.

Quais os riscos para saúde?

O efeito que ela pode causar depende da dose e da frequência com que é ingerida e pode ser agudo (letal ou não) ou subagudo, onde após ingestão, é absorvida no intestino e transportada ao fígado, onde é metabolizada.

A aflatoxicose é uma doença resultante da ingestão da aflatoxina em rações e alimentos contaminados, além de outras fontes como a inalação e o contato pela pele, sendo sua ocorrência em humanos desconhecida. Também tem sido descrita como tento atividades imunossupressora, mutagênica, teratogênica e hepatocarcinogênica.

Além desses problemas, está comprovada a sua relação com a incidência da hepatite B e do “kwashiorkor”. A Organização Mundial da Saúde – OMS já concluiu que a aflatoxina pode desenvolver câncer primário no fígado.

Porém, não quer dizer que ingerindo aflatoxina, a pessoa contrairá câncer, mas claro que aumenta o risco e dependendo da permanência que ingere alimentos contaminados a longo prazo.

Como posso prevenir o consumo de aflatoxinas?

Os órgãos reguladores têm trabalhado sempre em garantir que alimentos que possam esta contaminados não sejam expostos a venda, retirando produtos do mercado.

Na data de hoje, através da RESOLUÇÃO-RE N° 2.536, DE 16 DE SETEMBRO DE 2016, a ANVISA determinou Interdição Cautelar (Entenda o que é Interdição Cautelar AQUI) de amendoim e produtos dos gêneros da marca MANZI e SWEET por apresentarem teores de aflatoxina acima do LMT, por 90 dias para os seguintes produtos:

capturar

Além das fiscalizações pelo governo, algumas recomendações gerais podem ser seguidas para garantir uma melhor segurança alimentar, como:

  1. Selecionar o produto: comprar apenas em lojas de confiança e verificar se estão guardadas em local seco e frescos;
  2. Consumir o mais cedo possível: verifique o prazo de validade dos alimentos e consuma antes do seu prazo final;
  3. Comprar em quantidades pequenas: evite guardar quantidades excessivas do alimento em casa, compre apenas o que irá consumir em curto prazo;
  4. Armazenar adequadamente: guarde sempre em local seco e fresco ao abrigo dos raios solares;
  5. Descartar produtos suspeitos: se a embalagem do produto estiver danificada, ou aparecer bolor, úmido ou com aspecto estranho, coloque tudo imediatamente no lixo.

Espero ter ajudado!


Dafné DidierAflatoxina – Uma micotoxina presente no amendoim
Share this post

57 comentátios

Deixe seu comentário
  • Flavia Battello dos Santos - 22 de agosto de 2020 Responder

    Olá, sabem me responder se o processo de fermentação na elaboração de queijo de amendoim(com probióticos) elimina esses fungos?

  • gisele - 11 de fevereiro de 2020 Responder

    Preciso de ajuda, acho que comi amendoim japonês mofado, O que devo fazer?

    Dafné Didier - 12 de fevereiro de 2020 Responder

    Olá Gisele,
    não damos orientação sobre saúde. Sugiro que procure um posto de atendimento médico para maiores informações!

  • Maria - 15 de janeiro de 2020 Responder

    O amendoim que vende no supermercado da marca York é seguro, ele tem o selo de garantia e vende cru pra torrar em casa.

  • Gabriela - 7 de julho de 2019 Responder

    Olá, gostaria de saber se amendoim plantado em casa e em pequena quantidade (controlando garantindo as boas práticas no plantio para evitar umidade) se corre risco de ser contaminado por aflotoxina.

    Dafné Didier - 9 de julho de 2019 Responder

    Olá,
    aconselhamos procurar a vigilância local para maiores informações.

    Lucimar - 16 de julho de 2019 Responder

    Gostaria se a pasta de amendoim é segura.. meu filho fax consumo diário. Obrigada.

    Dafné Didier - 17 de julho de 2019 Responder

    Olá Lucimar,
    aconselhamos sempre procurar as vigilâncias locais para averiguar qualquer suspeita no produto. Em caso de dúvida você também pode entrar em contato com o SAC do fabricante do produto!

  • mary Lee dos Santos - 18 de junho de 2019 Responder

    qual exame de sangue detecta a aflatoxina no organismo?

    Dafné Didier - 18 de junho de 2019 Responder

    Aflatoxicose é uma intoxicação resultante da ingestão da aflatoxina em alimentos. Sugiro procurar um médico a qualquer suspeita de ingestão de alimentos contaminados e/ou sintomas.

  • mary Lee dos Santos - 18 de junho de 2019 Responder

    qual exame detecta a aflatoxina no organismo?

  • Andréa paula - 30 de abril de 2019 Responder

    Olá . gostaria de saber mais sobre o processo de fazer aflatoxina no amendoim.

    Isaias - 2 de maio de 2019 Responder

    vc quis perguntar sobre o procedimento para eliminar a aflatoxina do amendoim neh,,,, eu tb estou pesquisando …vi que tostar o amendoim ou por em agua quente elimina bastante a aflatoxina,,, alem disse é importante deixar os graos de molho por 12 horas e com um pouquinho de soro de iougurt pois ele contem uma bacteria saudavel que elimina a aflatoxina

    Eneida - 31 de maio de 2019 Responder

    Agradecida, era o q queria saber .algo para saber mais

  • João Vitor - 25 de março de 2019 Responder

    Olá ,gostaria de saber quais são as condições favoráveis de umidade e temperatura para impedir a proliferação de aflatoxinas em amendoim .

    Isaias - 2 de maio de 2019 Responder

    as condiçoes favoraveis estar no ambiente seco e fresco,,,a colheita no periodo mais quente e seco ajuda evitar contaminação… não estocar em deposito escuros e umidos tb

  • Lucia mainart - 19 de dezembro de 2018 Responder

    luciamainart@globo.com
    Tem a indicação de aparelho para medir esse fungo?

  • Lucia mainart - 19 de dezembro de 2018 Responder

    luciamainart@globo.com

  • Marcelo Cacciatori - 17 de agosto de 2018 Responder

    Até onde eu li a respeito, os amendoins nacionais são os q podem estar contaminados com a aflotoxicina, E os amendoins importados? Estamos em 2018 será q a Anvisa ainda não tomou providências a respeito desse assunto?

    Dafné Didier - 17 de agosto de 2018 Responder

    Olá Marcelo,
    os órgãos reguladores tem trabalhado para garantir o controle e segurança dos alimentos. 🙂

  • Bulid - 7 de agosto de 2018 Responder

    Como posso saber se o amendoim japones esta contaminado, e depois de aberto, se eu fechar direito posso consumir no dia seguinte?

    Eneida - 31 de maio de 2019 Responder

    penso que o risco nos amendoins industrializados é maior devido às etapas e armazenamento

  • Eunice pinheiro dos Santos . - 30 de junho de 2018 Responder

    Gostaria de saber se as mancas bracas no amendoim é algum tipo de fungos .

    Dafné Didier - 2 de julho de 2018 Responder

    Olá Eunice,
    não temos como diagnosticar esse tipo de característica no produto sem uma análise do mesmo. Abraços

  • Leandro - 24 de junho de 2018 Responder

    Olá,
    Gostaria de saber se amendoim cozido quando fica de um dia para outro fora da geladeira fica com um cheiro ruim?

    Dafné Didier - 25 de junho de 2018 Responder

    Olá Leandro, aconselho procurar uma nutricionista ou gastrônomo que poderá lhe orientar melhor sobre processos de preparo doméstico.

  • Beto - 18 de junho de 2018 Responder

    Ouvi dizer que devemos observar se há o selo Pro Amendoim na embalagem.; Sabe a respeito? Nunca vi esse selo nos a granel que tem em supermercados em geral

    Dafné Didier - 20 de junho de 2018 Responder

    Desconheço que tipo de selo seja esse!

    valter - 13 de julho de 2018 Responder

    Não posso acreditar que quem fez a matéria não conheça a ABICAB, assoçiaçao de amendoim e derivados, se funciona eu nao sei eu só compro amendoim com esse selo na embalagem e sao bem poucos que tem

  • Thiago - 28 de maio de 2018 Responder

    Olá, e sobre a contaminação de aflatoxinas em açúcar mascavo?, existe algo ?

  • Tucano Lemos - 8 de maio de 2018 Responder

    O fato do grão de amendoim ser torrado já não eliminaria ou diminuiria o risco da contaminação pelo fungo?

    Dafné Didier - 9 de maio de 2018 Responder

    Olá Tucano,
    a Aflotoxina só é destruída em temperaturas muito altas, em torno de 600 graus. Isso destruiria os grãos. A medida de controle deve ser preventiva!

  • Matheus Vieira - 5 de abril de 2018 Responder

    Olá. Gostaria de saber se há a possibilidade de me encaminharem bibliografias do tema. Estou escrevendo uma monografia sobre o assunto e tenho tido dificuldade em encontrar materiais sobre processo e circunstancias para síntese da aflatoxina. grato!

    Dafné Didier - 10 de abril de 2018 Responder

    Olá Matheus,
    bibliografia sobre o tema realmente são bem poucas. Mas recentemente vi alguns trabalhos de pesquisas publicados no google acadêmico com temas relacionados. Abraços

  • Marcos Travioli - 16 de março de 2018 Responder

    Olá. Se é que entendi bem, tanto o amendoim com casca quanto o que é vendido já sem casca podem conter essa substância cancerígena, né? O problema não ocorre exclusivamente só quando se quebra a casa e o grão fica exposto? Grato.

    Dafné Didier - 19 de março de 2018 Responder

    Olá Marcos,
    uma vez o amendoim contaminado com aflotoxinas ele pode continuar no grão sem casca. O importante são os controles aplicados ao produto, pois as más condições inadequadas de secagem e armazenamento são os principais fatores.

  • Verônica - 12 de março de 2018 Responder

    Oi. Eu e minha família sempre consumimos amendoim sem nenhum problema, mas desta vez foi diferente. Apenas torrei o amendoim no forno e após consumir tivemos reações cutâneas e intestinais. Esse produto pode estar contaminado?

    Dafné Didier - 12 de março de 2018 Responder

    É muito difícil dizer que as reações foram por conta de aflotoxinas ou algum outro microrganismos. O mais aconselhável é procurar um médico!

    Ivan - 25 de junho de 2018 Responder

    Eu comi. Amendoim e me deu diarreia.nao para

    Dafné Didier - 25 de junho de 2018 Responder

    Olá Verônica,
    aconselho procurar o médico!

  • Fabrício - 30 de janeiro de 2018 Responder

    Esqueci de perguntar, um pote de 1kg pra mim dura 15 dias em média, teria risco para a minha saúde essa padrão de ingestão? Grato pro enquanto!

    Dafné Didier - 31 de janeiro de 2018 Responder

    Oi,
    o prazo de consumo do produto após aberto deve ser de acordo com que o fabricante informou no produto. Após esse período o risco de consumo é do consumidor!

  • Fabrício - 30 de janeiro de 2018 Responder

    Olá, existe algum teste periódico que é feito para saber quais marcas de Pastas de Amendoim nacionais são seguras? Grato por enquanto! Fabrício

    Dafné Didier - 31 de janeiro de 2018 Responder

    Olá Fabrício,
    quem fiscaliza a conformidade e segurança dos produtos no mercado é a ANVISA, através das Vigilâncias locais. Não existe uma periodicidade para que isso ocorra. Contudo, cada empresa produtora é quem deve garantir que o produto está apto para o consumo, livre de contaminações ou risco para a saúde da população.
    Abraços

  • Miriam - 4 de novembro de 2017 Responder

    Se o amendoim é contaminado pelo fungo, a pasta de amendoim também é? Como todos os dias…

    Dafné Didier - 5 de novembro de 2017 Responder

    Pode existir sim o risco da pasta de amendoim conter a toxina. Tem trabalhos de pesquisas que já identificaram em produtos nacionais. Mas não vamos generalizar, existir o risco é uma coisa; ter de fato a aflatoxina é outra! Procure sempre por empresas sérias que prezam pela qualidade dos seus produtos!

  • Juliana - 31 de outubro de 2017 Responder

    Já li que a ingestão desse fungo do amendoim é nocivos e que é acumulativo no organismo.tem algum tipo de exame de sangue que eu possa fazer para detectar se possuo? Como diariamente pasta de amendoim caseira. Amendoim torrado e liquidificado, puro sem açúcar. Compro amendoim com o selo da ABICAB.

    Dafné Didier - 31 de outubro de 2017 Responder

    A ingestão de alimentos com aflatoxinas pode levar pode levar a impactos agudos ou crônicos. A Organização Mundial da Saúde – OMS já concluiu que a aflatoxina pode desenvolver câncer primário no fígado do homem. Isto, evidentemente, não significa que ingerindo aflatoxina, a pessoa fatalmente contrairá câncer, mas sim, aumentar o risco e dependendo da permanência em ingerir alimentos contaminados, a longo prazo, pode desenvolver a doença.

  • Carlos - 24 de outubro de 2017 Responder

    Quando fiz microbiologia na faculdade um professor especialista em fungos falou que o amendoim é um dos produtos mais cancerígenos que existe devido a essa aflatoxina.

    Dafné Didier - 24 de outubro de 2017 Responder

    Olá Carlos,
    A aflotoxina é bem comum em amendoins que não são seguidos os cuidados necessários para sua produção. Se é o mais cancerígenos já não consigo te afirmar. Mas que quaisquer toxinas em alimentos podem causar danos a saúde, isso sim é fato!
    Obrigado por comentar!

  • Jorge Roberto Simon - 5 de agosto de 2017 Responder

    O amendoim torrado , sem casca, diminue o risco???

    Dafné Didier - 11 de agosto de 2017 Responder

    Olá Jorge, uma vez a micotoxina desenvolvida no grão é muito difícil sua eliminação. O que geralmente ocorre é uma separação mecânica dos grãos de amendoim considerados de alta possibilidade. Uma vez contaminado, a eliminação da aflatoxina por outros métodos (calor, extração por solventes, adsorção) não são tão eficazes. Para que o calor fosse suficiente em eliminar a toxina, teria que ser submetido a temperaturas maiores de 250ºC, o que destruiria o grão. Então, ouso em dizer que a torração não elimina o risco a saúde caso a micotoxina esteja presente.

  • Nathalia - 6 de julho de 2017 Responder

    Olá, minha dúvida que venho pesquisando é a seguinte: eu estou com uns amendoins que minha avó trouxe da Itália. Eu estava comendo e comecei a reparar na casca dele que tem umas pintinhas mais escuras, e umas meio furadinhas, isso é normal? devo continuar comendo? Mas o gosto não esta ruim…

    Dafné Didier - 7 de julho de 2017 Responder

    Olá Nathalia,
    Infelizmente não conseguimos te orientar dessa forma. Todavia, quanto a aflatoxina, a principal característica em grãos de amendoim é a aparência de “véu” pois trata-se de uma micotoxina produzida por espécies de fungos do gênero Aspergillus. Mas, se tem dúvida sobre a real qualidade do grão, e está completamente certa. Sugiro procurar o órgão de vigilância sanitária mais próximo e levar o produto. Ou alguma unidade da EMBRAPA!

  • Núbia - 4 de maio de 2017 Responder

    Olá. Gostaria de tirar uma dúvida com vocês. Como faz a inclusão da proteína ( usada por atletas) na pasta de amendoim?

    Dafné Didier - 8 de maio de 2017 Responder

    Olá Rúbia,
    tal processo é complexo para explicar, pois envolve vários fatores e um deles são suas linhas de processo. Desculpe não poder ajudar!

    Vivian dos Santos - 27 de agosto de 2019 Responder

    Pelo o que entendi o amendoim e o grao que apresenta o maior risco de contaminaçao, correto?! E a castanha do para?! Pode ser contaminada!?

Deixe seu comentário